A noite no Tivoli com Miguel Araújo. :)

A noite no Tivoli com Miguel Araújo. :)

Ontem foi A noite.

A sala estava cheia, poucos lugares vazios, os Deolinda chegaram e sentaram-se. Pouco depois apagam-se as luzes e toda a gente fica espectante, à espera do Grande Anfitrião.

Entra Miguel Araújo Jorge, sózinho em palco, apenas com uma guitarra nos braços. Deu-lhe vida, forma e coloriu a sala com os Sete Passos da Carolina, das minhas favoritas.

A noite continuou, com alegria e aplausos. Passou-se mais música… até que se ergue o “Império” com o épico Samuel Úria. Um rei.

*Aplausos, aplausos, aplausos*

Chega António Zambujo que me encanta e faz sonhar com a grandiosa Lambreta. Úria Volta ao palco para um Triunvirato, a fabulosa música do novo disco do Samuel. Para mim, um dos melhores momentos, os 3 génios da música portuguesa juntos, num só palco, numa só música. 🙂

Mais umas músicas lindinhas pelo meio e um “Até à proxima” fizeram Miguel Araújo sair de palco seguido de um grandioso momento de aplausos para mais umas canções. Voltou ao palco e já eu estava com medo de que ele não tocasse a Desdita e a Reader’s Digest… Soaram os primeiros acordes da Desdita e fiquei embevecida, com lágrima talvez. 🙂

Mas a surpresa da noite foi do Diogo, para a namorada: um pedido de casamento, que acabou bem! 🙂 Pior teria sido se ela tivesse recusado!
Um momento lindo, comovente que foi aplaudido por todos, todos, todos! Felicidades para os noivos. :’)

Depois de todo este momento de extrema felicidade, seguiu-se um “bailarico”, para comemorar a felicidade daqueles dois: Reader’s Digest, mais composta do que eu estava habituada. Quando a comecei a ouvir era apenas um ukelele e uma voz, passou pela voz do Zambujo com guitarras clássicas, pelo album do próprio Miguel com outros intrumentos e acabou ali, no Tivoli, com uma banda inteira. Foi, de certo, um dos momentos mais altos da noite!

Na minha opinião, foi um concerto fantástico, onde ouvi as músicas de há um ano num formato diferente e mais completo. Tenho que agradecer à paciência do meu pai que me fez a vontade e levou-me ao Tivoli. 🙂

Obrigada ao Anfitrião da noite, Miguel Araújo que nos deu boa música, trouxe o Fabuloso António Zambujo e o Épico Samuel Úria. Para mim, ver estes três grandes numa só noite foi muito, mas muito maravilhoso. 🙂

Créditos da foto:  hardmusica.pt

Advertisements

Season Finale

Imagem

 

Então foi assim: eu estive a ver o último episódio da segunda temporada de American Horror Story. Admito que, para mim, ao início, foi uma temporada confusa em relação à anterior mas, com um pouco mais de atenção consegui leva-la até ao final e gostar realmente. 

Mas este final… surpreendeu-me, ainda estou a decidir se gosto ou não da Lana Winters (Sarah Paulson).

American Horror Story é uma excelente série com excelentes actores. Thumbs up para Jessica Lange (Sister Jude) que é uma óptima actriz! 😀

 

Pronto, por agora é só isto. 
Até logo, que agora vou assistir ao mais recente episódio de Walking Dead. :’D

 

Uma cena que me lembrei ao som de David Guetta.

Hoje de manhã, quando ia no carro com o meu ipod em shuffle, a caminho do médico, pus-me a pensar e cheguei à conclusão que me pus para aqui a postar cenas e nem sequer me apresentei… por isso, agora estou aqui para o fazer. 🙂

A Rita é uma criança de 21 anos residente em Setúbal, mas odeia sardinhas e adora carapaus e choco frito! Andou ano e meio a tirar o curso de design, mas apesar de gostar imenso do curso, não “curtia” da malta e de faculdades privadas, por isso, mudou-se para uma faculdade púbica e p’ra História da Arte.

É uma miúda simpática, fofinha e amiga de toda a gente… mesmo daqueles que depois lhe viram as costas. Já foi forte, durona e não chorava por nada mas agora, devido às partidas da vida, aprendeu a derramar lágrimas quando já não tinha mais forças para aguentar os problemas sozinha, mas ainda hoje guarda tudo p’ra ela só para evitar conflitos com os outros.

É romântica, sonhadora e marca cada momento que lhe é dado, porque acredita que se deve guardar todos de forma especial, porque mais tarde é o que a fará sorrir quando lhe apetecer chorar. 🙂

A Rita adora música, adora teatro, adora ler. Tem criatividade que chegue para um mundo, mas é tão preguiçosa que a guarda toda só p’ra ela! :p Toca guitarra, piano, sente-se capaz de fazer ritmos na bateria, mas não consegue bater nos pratos e no bombo ao mesmo tempo, tem pouca coordenação, mas um dia vai conseguir, prometo! Ah, e ela também canta de vez em quando, só quando lhe pedem… a rapariga é tímida!  

Ama Queen e tem um fetiche estranho com o bigode do Freddie Mercury! Adora música Indie e gosta de Fado. O David Fonseca é fantástico, os Of Monster and Men são lindos e o António Zambujo sabe acalmar-lhe os nervos na perfeição.

A Rita é viciada em jogos e quando aprendeu a jogar poker, não queria outra coisa. Agora já passou. Um dos sonhos dela é ter uma Playstation portatil, mas como é pobre não pode ter. Tem a 2 que também é muito boa e ela que a aproveite porque não conhece o final de todos os  mil jogos que tem!! 

Então, a Rita também tem um fascínio especial por Londres e apesar de ir lá algumas vezes, tem o sonho de fazer o roteiro do Jack o Estripador… e viver lá também! 

Em contrapartida, ela odeia bacalhau, feijão e grão… e favas e ervilhas e moelas e salmão grelhado e peixe no forno e feijoada e sopa (à excepção de canja e sopa de feijão verde) e enjoou frango assado e esparguete!!

(NOTA: se a quiserem convidar para jantar perguntem-lhe primeiro o que é que ela gosta, é mais fácil)

É doida por sushi e se quiserem ir com ela almoçar ou jantar ao japonês, avisem-na com  3 dias de antecedência para ela fazer jejum. 

A Rita odeia acordar cedo por obrigação, mas quando é for fun é a primeira a acordar, só para aproveitar bem o dia! Ela ri-se facilmente (principalmente se estiver bebeda), tem sentido de humor e quando está bem disposta escreve coisas com esta e ri-se sozinha e tudo! E também odeia acordar com gritos e barulheiras, prefere ter um acordar calmo e sereno! 

Colecciona Barbies e isqueiros da Bic, tem dois. Adora beber capuccinos quentinhos em dias de chuva, mas odeia café.

Dizem que a miúda é estranha mas ela sabe bem o que quer… ok, se calhar não sabe, mas um dia vai saber.

Tem um namorado que ama com todas as forças que tem (não, não é exagero) mas não é uma relação fácil… há-de chegar o dia em que vai facilitar! 🙂

 

Pronto, esta sou eu, a Maria Rita.

Muito prazer! 🙂

A minha primeira vez.

Esta está a ser a minha primeira vez. Onde avanço, recuo, escrevo, apago, penso e repenso. Ora, isto nunca será perfeito e “I don’t give a f*ck”, só estou para aqui a expressar o que me apetece mesmo que nenhuma das palavras aqui escritas faça qualquer sentido. 

Eis aqui e agora o nascer dum espaço que, espero eu, vos agrade e que sintam vontade de visitar. Criei-o apenas porque acho que a minha criatividade se está a enterrar e não posso deixar isso acontecer. Para que ela não morra, venho para aqui escrever e libertar-me, como fiz há uns tempos atrás. 

Pronto. 

Esta foi a minha primeira vez, aqui e agora. ❤Image